segunda-feira, 31 de março de 2014










As Ilhas na Imprensa.





segunda-feira, 24 de março de 2014

Seminário Internacional Habitação Básica

Seminário Internacional Habitação Básica

10, 11 e 12 de Abri 

// dia 11 Abril


Casa do Infante, Porto

9h / abertura
Dr. Manuel Pizarro_ Vereador Pelouro Abitação e Acção Social, C.M.P.
Prof. Berta Granja_ ISSSP/ LAHB Social
Documentário ?Direito á habitação?,RTP, Porto,  1976

9h30 / ?Habitação Básica- políticas e programas para o séc. XXI?
Arq. Alexandre Alves Costa, FAUP
Prof. Fernando Matos Rodrigues_ ESAP/LAHB Social
Arq. Nuno Grande_ DARQ/FCTUC/  FAUP
Arq. Maria Vittoria Capitanucci_ Polimi Milan
Dr. Paulo Cunha e Silva_ Vereador Pelouro da Cultura, C.M.P.

13h / Almoço

15h / Introdução ao Workshop Habitação Básica
Arq. André Fontes e António Jorge Fontes_ U. Minho/ BAS

15h15 / Visita ao local
20h_ 00h00 / Workshop ?Habitação Básica?

// dia 12 Abril
Casa do Infante, Porto

9h30  / Workshop ?Habitação Básica?

13h Almoço

15h_ 20h  / Workshop ?Habitação Básica?

20H30 / Jantar

22h / Apresentação dos trabalhos elaborados no Workshop

23h30 / Encerramento
Dr. Manuel Correia Fernandes, Vereador Pelouro Urbanismo,CMP

CORDENADORES DE EQUIPAS:
André Fontes (BAS/ UMinho)                        
António Jorge Fontes (UMinho)
João Carreira (ESAP)
Nuno Grande (DARQ/FCTUC/  FAUP)
José Carlos (atelier arq. Siza Vieira)
Asbjorn Andresen (BAS)
Fábio Filipe Azevedo (LAHB Social)
Catarina Pires (LAHB Social)
Ana Feijó (LAHB Social)
Ana Almeida (LAHB Social)
Tiago Antero Silva (DARQ/FCTUC)
Eugénio Coimbra (ESAP/ UMinho)


CONSULTORES:
Fernando Matos Rodrigues (ESAP/ LAHB Social/CICS U.M.) - Antropólogo do Espaço
Jorge Vaz (ESAP)- arquitecto
Elena Tarsi ( UNESCO/ UFirenze)-arquitecta

Imagem intercalada 1
Para mais informações não hesite em contactar-nos.
Com os melhores Cumprimentos,
LAHB Social
_

sexta-feira, 21 de março de 2014

Programa Especial para a Regeneração das Ilhas do Porto. Deputados do Partido Socialista apresentam projecto de Resolução na Assembleia da República

Projeto de Resolução N.º … /XII/1.ª
 Recomenda ao Governo a criação de um programa especial para a regeneração das ilhas do Porto

Os centros das cidades estão hoje em desertificação, o que os torna geradores de vários problemas. É necessário inverter este ciclo de degradação e tornar as cidades competitivas, socialmente coesas e harmoniosa no que diz respeito ao ordenamento do território.

Os centros históricos apresentam-se com múltiplas limitações, que transcendem os aspetos urbanísticos, e que desafia a promover transformações nos espaços funcionais de modo a garantir habitações com o mínimo de qualidade para as pessoas que nelas habitam ou venham a habitar.

Vencer este desiderato só é possível se apostarmos na regeneração urbana no sentido de valorizar o património e dar vida aos centros das cidades.

Neste contexto a regeneração urbana é cada vez mais a grande aposta no futuro sustentável dos centros históricos.

O Porto, Património da humanidade, configura um território com características específicas, entre as quais se inscreve a existência de ilhas, núcleos habitacionais, que albergam mais de doze mil portuenses.

No Porto, não é possível falar em Regeneração Urbana sem ter em consideração as Ilhas, que são verdadeiros espaços de vivência e de resistência ao abandono do centro da Cidade.

As ilhas são uma parte importante da identidade do Porto e do seu património, são bolsa espalhadas pela cidade, integradas no miolo urbano mais densificado, sobretudo na zona central do Porto.

As ilhas constituem importantes espaços de sociabilidade, solidariedade e entreajuda, mas não podem continuar a ser olhadas com paternalismo enquanto os seus moradores se debatem com duríssimas condições de vida.

As ilhas encontrando-se hoje genericamente degradadas, com condições de habitação e salubridade que são inaceitáveis no Porto dos nossos dias.

Construir um Porto mais inclusivo, uma cidade onde todos têm um papel e um lugar e onde ninguém é deixado para trás, passa por um político de coesão social e esta passa também pela regeneração urbana, onde as ilhas devem constituir uma prioridade.

A intervenção nestes espaços, em que a sua maioria é privada, torna-se indispensável uma articulação com a Câmara Municipal e definida uma estratégia de intervenção profunda, com o objetivo de melhorar as condições de vida das pessoas que aí residem.

A existência de um programa específico para estes espaços habitacionais, á semelhança dos criados para os bairros críticos, ganha particular relevância e prioridade.

A regeneração urbana só faz sentido se for feita com e para as pessoas, devolvendo o centro da cidade aos seus habitantes. 

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Deputados do Partido Socialista apresentam o seguinte Projeto de Resolução:
A Assembleia da República resolve, nos termos do nº5 do artigo 166º da Constituição da República Portuguesa, recomendar ao Governo:

1 – A criação com alocação de fundos comunitários, de um programa especial para a requalificação e regeneração das ilhas do Porto, executado em parceria com a Câmara Municipal do Porto.
 .
Palácio de S. Bento, 17 de Março de 2014

Os Deputados
Renato Sampaio
Francisco Assis
António Braga
Isabel Santos
José Lello
Miranda Calha
André Figueiredo
Ana Paula Vitorino
Luisa Salgueiro
Glória Araújo
João Paulo Correia
Isabel Oneto
Fernando Jesus
José Magalhães